Notícias
Presidente da AMM afirma que prefeitos cumpriram regras ao editar decretos municipais
Publicado em: 26 de março de 2020
Autor:AMM
Fonte:Agência de Noticias da AMM

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, discorda das afirmações do governador Mauro Mendes, quanto aos decretos municipais editados pelos prefeitos, tanto no que se refere ao prazo de vigência, como no fechamento do comércio, da indústria e prestadores de serviços.

Fraga ressalta que os prefeitos não baixaram decreto com validade de 90 a 120 dias e muito menos fecharam totalmente o comércio local. Eles seguiram o decreto do Governo Federal, as recomendações da Organização Mundial de Saúde e da própria Secretaria de Estado de Saúde. “Ao baixar os decretos municipais, os prefeitos estabeleceram regras com a principal preocupação em preservar vidas, sem contudo prejudicar o setor econômico”, assegurou.

Em todos os municípios, permaneceram abertos os postos de combustíveis, farmácias, supermercados e outros tipos de atividades  econômicas consideradas essenciais.  Segundo ele, as indústrias,  principalmente as processadoras de alimentos, como também o transporte da produção e de mercadorias, não foram fechados pelos decretos. Evidentemente os funcionamentos foram permitidos com uma série de recomendações de cunho sanitário”, afirmou.

O presidente da AMM disse ainda que a população de municípios menores como de Brasnorte, por exemplo, deve ter o mesmo tratamento e cuidado, que se tem com a população de uma grande cidade, ou mesmo uma metrópole como é o caso de São Paulo. “Além disso, os prefeitos não precipitaram nas suas decisões, para impedir a propagação do coronavírus. Foram prudentes e responsáveis. Acima de tudo, estão cumprindo com a obrigação prevista em lei, que é de proteger a população” argumentou.

Fraga lembrou também que encaminhou mais de um dezena de decretos recebidos dos prefeitos ao secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, para que fossem analisados, e que pudessem complementar o decreto estadual. “Evidentemente que essa ação foi no sentido de colaborar com o governo, principalmente mostrar a nossa preocupação com a pandemia e com os resultados econômicos que ela vem  produzindo, além de desmistificar informações distorcidas de que os prefeitos fecharam totalmente o comércio local”, observou.

A partir da publicação do novo decreto, o governo assume a responsabilidade pelas ações. E que para Fraga, não deixa de ser uma ação positiva, até mesmo para uniformizar as decisões entre estados e municípios, no que se refere ao combate do coronavírus em Mato Grosso.

O decreto praticamente não restringe as atividades  econômicas, com algumas exceções. Recomenda apenas alguns cuidados que o empresariado deve ter. Por outro lado, abre espaço para que a população não cumpra a quarentena, ficando restrito apenas aos  grupos de riscos, como os idosos, hipertensos, diabéticos e outros.

A partir de agora, caberá a cada gestor municipal adequar as suas ações de acordo com o que o decreto estadual, que recomenda e colocação de equipes de vigilância para monitorar e fiscalizar as atividades.

Com o novo decreto, as pessoas voltarão as ruas, consequentemente os comerciantes terão de redobrar as suas atenções, e a vigilância municipal terá muito trabalho pela frente. “Quero aqui parabenizar todos os prefeitos que preocupados com a pandemia, adotaram medidas preventivas para combater a disseminação do Coronavírus.   Isso é uma demonstração de que são extremamente responsáveis e comprometidos com o bem estar da população”, finalizou.

Tags: Efeito Coronavirus
Notícias relacionadas
Diário Oficial
Cadastro de Atas
AMM Digital
Municípios
Vídeos
Vídeo institucional da AMM
Curta e Compartilhe nosso conteúdo!
Consórcios Intermunicipais
Novidades