Notícias
Na Hora do Turismo CNM debate potencial da pesca esportiva para os Municípios
Publicado em: 31 de julho de 2020
Fonte:Agência CNM

O turismo de pesca como oportunidade para valorizar a diversidade e ampliar a oferta turística nos Municípios brasileiros foi debatido na edição do Na Hora do Turismo da CNM desta quinta-feira, 30 de julho. Para falar sobre o segmento e tirar dúvidas, o programa teve a participação do presidente da Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe), Marcos Glueck.

Consultor da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Mário Nascimento destacou aos gestores o potencial da pesca esportiva para o desenvolvimento municipal. “O Brasil é o primeiro país do mundo em potencial natural. Mesmo assim, nós estamos muito atrás na atração de turistas brasileiros e internacionais para esses destinos da natureza”, avaliou. Para ele, portanto, é importante promover incentivos na área.

Ao comparar dados do Brasil com o de outros países, Glueck mostrou que nos Estados Unidos foram movimentados, em 2014, 44 milhões de dólares com pesca esportiva - sendo 60% do valor gasto com turismo. A Argentina, segundo os dados, atrai uma média de 70 mil turistas brasileiros por ano para praticar a pesca. Eles deixam um montante anual de R$ 430 milhões no país vizinho. Apesar de poucos dados consolidados, o presidente da Anepe explicou que pesquisas apontam que 16% - 7,8 milhões de brasileiros - têm o hábito de pescar. Diretamente com turismo de pesca, a estimativa é de R$ 1,2 bilhões gerados na economia nacional, fora os empregos gerados. Acesse aqui a apresentação completa.

“Temos um nicho de mercado muito forte a ser explorado aqui no Brasil. As empresas de equipamentos e pousadas já estão se adequando para atender ao público feminino”, adiantou Glueck. Entre os estadunidenses praticantes de pesca esportiva, 27% são mulheres. No Brasil, o percentual feminino é de apenas 7%. Entre os potenciais evidenciados na transmissão da CNM para o setor estão ainda a extensa bacia hidrográfica e costa brasileira e a grande variedade de espécies - o que pode ajudar a impulsionar o turismo local e o desenvolvimento sustentável.

Analista técnica de Turismo da CNM, Mônica Costa destacou que os eventos relacionados à pesca esportiva podem funcionar como uma estratégia de marketing para o destino turístico. “Divulga a cidade, minimiza os problemas de sazonalidade, aumenta a arrecadação de impostos e possibilita o crescimento do comércio local, aumentando a oferta de emprego e de renda”, listou. Ao contar os eventos regionais, o Brasil soma 222 torneios de pesca autorizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Entre as dicas para desenvolver a atividade nos Municípios, o presidente da Anepe citou que o primeiro passo é fazer um levantamento das características do território. Ele apontou ainda que as atividades da CNM que levam conhecimento às cidades é um meio de identificar potencialidades, como ocorre nas edições do Seminário de Governança para o Turismo e do Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial.

Outro ponto abordado na live foi o cenário pós-pandemia da Covid-19. “Criamos na Anepe um protocolo de segurança, um roteiro para que as pousadas possam de adaptar e criar as condições necessárias de segurança para, quando autorizado pela autoridade municipal, o cliente se sinta mais confiante para ir”, contou Glueck. Nesse sentido, a associação também lançou um selo. Glueck também divulgou o aplicativo Pesque Já, que reúne informações sobre o tema e onde é possível fazer denúncias de pesca ilegal.

Tags: CNMHora do Turismopesca esportivaturismo
Notícias relacionadas
Diário Oficial
Informes Covid-19
Notas Técnicas
Cadastro de Atas
AMM Digital
Municípios
Vídeos
Vídeo institucional da AMM
Curta e Compartilhe nosso conteúdo!
Consórcios Intermunicipais
Novidades